Terça, 25 de junho de 2019
Mato Grosso do Sul - (67) 99257-6730
Polícia

22/03/2019 às 06h45 - atualizada em 21/03/2019 às 19h35

472

Redacao

Ponta Porã / MS

Justiça decreta prisão de mulher que arquitetou a morte do marido
Mulher contratou equipe para matar o pai dos seus dois filhos supostamente por ciúmes
Justiça decreta prisão de mulher que arquitetou a morte do marido
Agentes da Polícia Civil chegando ao local onde aconteceu o crime, agora esclarecido

Já está presa Kelly Francine Vioto Fialho acusada de ter arquitetado a execução do próprio marido, o empresário Jonathan Marcelo Fernandes, 28 anos, que era proprietário da Serralheria Bom Jesus, em Ivinhema. Além dela, outras quatro pessoas estariam envolvidas no crime e também já estão com as prisões decretadas, apenas uma continua solta.


Os acusados denunciados pelo Ministério Público Estadual e que já estão presos são os seguintes: Kelly Francine Vioto Fialho, Leandro Bazan Cruz Argilero e Johnny Alves da Silva. O único suposto envolvido no crime que continua sendo procurado pela polícia é Geovane Vioto Fialho, irmão de Kelly e cunhado da vítima.


O empresário Jonatahan Marcelo Fernandes estaria tendo um relacionamento extraconjugal e isso teria motivado Kelly, suspostamente por ciúmes, a arquitetar a morte do marido com quem tinha dois filhos. Primeiro ela teria pedido a ajuda do seu irmão Geovane. Juntos eles teriam contratado por R$ 30 mil um intermediário identificado pelo apelido de “Pikachu”, o qual teria ficado com um terço do valor e repassado o restante a Leandro Bazan, o qual teria então retirado uma parte e o restante entregue ao pistoleiro Jhonny Alves da Silva, 22 anos.


Teria sido Jhonny o homem que estava em uma motocicleta Honda no dia 5 de julho de 2018 esperando a chegada de Jonathan Marcelo Fernandes. Quando o empresário parou o carro e se preparava para entrar em sua serralheria foi surpreendido e alvejado com pelo menos três tiros. Ele ainda pediu socorro a um amigo que o levou ao Hospital Municipal de Ivinhema, onde morreu pouco tempo depois de dar entrada no pronto socorro.


A Polícia Civil trabalhou seis meses para elucidar o crime. Durante as investigações os policiais descobriram que além de planejar a morte do marido, Kelly também planejava pagar R$ 50 mil para o pistoleiro Jhonny Alves da Silva se entregar e assumir sozinho a autoria do assassinato. Até um carro já teria sido entregue à família do suposto autor. Ela também já teria contratado um advogado para apresentar e defender Jhonny, que teria concordado, mas tudo acabou esclarecido pelos investigadores e agora a ex-esposa e os outros envolvidos poderão ser condenados a pena de até 30 anos de prisão.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium