Quinta, 17 de outubro de 2019
Mato Grosso do Sul - (67) 99257-6730
Brasil

19/09/2019 às 17h57 - atualizada em 19/09/2019 às 18h01

804

Redacao

Ponta Porã / MS

Polícia Civil indicia gerente de banco que desviou R$ 1,2 milhão da conta de uma idosa
O gerente e mais um acusado teriam se aproveitado do frágil estado de saúde da vítima que tem Mal de Alzheimer
Polícia Civil indicia gerente de banco que desviou R$ 1,2 milhão da conta de uma idosa
As investigações estão sendo conduzidas pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf)

A Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), concluiu quarta-feira (18), o inquérito policial que apurou o desvio de mais de R$ 1,2 milhão da conta bancária de uma idosa de Campo Grande, de 88 anos. Conforme a Polícia Civil o desfalque foi feito pela própria gerente da conta bancária da vítima.


Durante as investigações, coordenadas pelo delegado Fábio Brandalise, os policiais civis comprovaram que a gerente do banco onde a idosa mantinha conta, E. C. M. A., 40 anos e T. F., 59 anos, que era pessoa do convívio pessoal da vítima, se aproveitaram do frágil estado de saúde dela, que tem Mal de Alzheimer e outras patologias que a tornaram permanentemente incapaz para atos da vida civil, para cometerem o crime.


Provas foram produzidas pela Polícia Civil, comprovando que a gerente do banco retirou das contas da vítima, em benefício próprio, no mínimo R$ 873 mil, sendo a principal beneficiada pelo esquema criminoso. Foi ela também quem depositou outros R$ 388 mil na conta bancária de T. F., que auxiliava a gerente nos desvios.


A pedido da Polícia Civil, a Justiça bloqueou um terreno localizado no condomínio Dahma III e de uma casa no Dahma IV, ambos adquiridos pela gerente, com o dinheiro que ela desviou da conta bancária da idosa. Os bens estão avaliados em mais de um milhão de reais. A Derf ainda apreendeu um automóvel e quantias em dinheiro que estavam em posse da comparsa T. F., recuperando assim a totalidade do dinheiro subtraído da idosa.


A gerente e a comparsa dela foram indiciadas por furto qualificado, que prevê pena de até 8 anos de reclusão.


O delegado Fábio Brandalise representou pela prisão preventiva da gerente da conta bancária da vítima, entretanto, o requerimento foi indeferido pelo Poder Judiciário, que acompanhou manifestação do Ministério Público.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium