Quinta, 22 de agosto de 2019
Mato Grosso do Sul - (67) 99257-6730
Polícia

13/08/2019 às 11h15

690

Redacao

Ponta Porã / MS

Polícia Civil liberta mulher que seria julgada por “tribunal do crime” em Dourados
Operação policial contou com a participantes dos agentes da DEFRON e do SIG
Polícia Civil liberta mulher que seria julgada por “tribunal do crime” em Dourados
Momento da prisão de um acusado pelos agentes de Polícia Civil

Policiais Civis da Delegacia Especializada de Repreensão aos Crimes de Fronteira (Defron) e do Setor de Investigações Gerais (SIG) de Dourados prenderam na noite da última sexta-feira (9), no bairro Cachoeirinha, em Dourados, três integrantes de uma facção criminosa, que levariam ao chamado "tribunal do crime", uma mulher que denunciou integrantes do bando.


Foram presos A.D.S.O., vulgo “Guerreiro”, de 21 anos; A.S.C., vulgo “Paraguaio”, de 40 anos; e M.A.O.M., vulgo “Cidinha”, de 34 anos, que mantinham em cárcere privado a vítima, que foi resgatada pela Polícia Civil.  Os policiais chegaram até os acusados após a família de uma jovem de 19 anos procurar a delegacia e informar que a mesma foi levada, contra a sua vontade, por um homem que se identificou como membro de uma facção criminosa.


Conforme a ocorrência, a vítima foi obrigada a acompanhar este homem pois, do contrário, o irmão dela que se encontra preso, seria morto por outros integrantes da facção criminosa dentro da Penitenciária Estadual de Dourados.


De posse das informações, policiais do Defron e do SIG realizaram diversas diligências e encontraram a vítima em uma residência localizada no Jardim Márcia, e a motocicleta utilizada para levá-la. Eles conseguiram prender “Guerreiro”, que confessou que levou a vítima até um local no bairro Cachoeirinha, em Dourados, mas negou ter feito ameaças à vítima.


Em outra residência, no bairro Cachoeirinha, os policiais encontraram a vítima, bem como prenderam em flagrante “Paraguaio” e “Cidinha”. Os autores mantinham a vítima em cárcere privado desde o dia anterior, obrigando que ela permanecesse no local, onde seria “julgada” por ter, supostamente, denunciado outros membros da facção para a polícia.


Diante dos fatos, os autores foram presos e conduzidos até a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário de Dourados, onde foram autuados em flagrante pelos crimes de sequestro e cárcere privado e associação criminosa e permanecem presos a disposição da justiça.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium