Terça, 25 de junho de 2019
Mato Grosso do Sul - (67) 99257-6730
Política

11/06/2019 às 08h55

275

Redacao

Ponta Porã / MS

Escolas da Rede Pública poderão contar com projeto Idoso Contador de Histórias
A possibilidade foi mencionada durante reunião da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa
Escolas da Rede Pública poderão contar com projeto Idoso Contador de Histórias
Coordenador da Frente Parlamentar, Renato Câmara quer diagnóstico sobre idosos de MS

Escolas da Rede Estadual de Ensino poderão destinar ambiente para que alunos prestigiem boas histórias de superação contadas a partir do olhar de idosos. Como forma de inseri-los no ambiente escolar, a possibilidade foi mencionada durante reunião da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, realizada nesta quinta-feira (6), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS).


“Essa ideia veio de algumas visitas a escolas e por termos a compreensão de que nós somos pessoas influenciáveis e de somos ainda mais influenciáveis por pessoas que respeitamos, que são nossos pais, nossos avós, que nos contam e relatam histórias. Então, se pudermos ir para as escolas e contar histórias de superação, que tenham cunho de valores, isso fica marcado na nossa vida”, afirmou o coordenador da Frente Parlamentar, deputado Renato Câmara (MDB).


Além do estudo para viabilização do projeto Idoso Contador de Histórias, o parlamentar solicitou a elaboração de um diagnóstico da situação do idoso no Estado. Ele discorreu sobre a carência de números oficiais regionalizados e afirmou que o levantamento, com participação de entidades da sociedade civil, pode ser ponto de partida para a formulação de novas políticas públicas de modo a dar mais dignidade às pessoas na chamada “terceira idade”.


“Existem vários problemas que a sociedade vem enfrentando em relação ao idoso, desde aquele que é violentado ao que precisa de saúde e ao que tem uma vida solitária, e esse panorama precisa ser registrado. Somos 40 entidades e precisamos deixar documentado como referência a novas políticas públicas e também a pesquisadores, universitários e professores que possam conhecer um pouco da realidade do idoso em Mato Grosso do Sul”, frisou.


Na ocasião, o secretário executivo da Frente Parlamentar, Sebastião Messias de Souza, falou sobre a programação do 4° Seminário Estadual de Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa, que será realizado na Assembleia Legislativa dia 27 de junho. “As palestras foram escolhidas por pesquisa prévia e contemplam temas em comum entre as entidades aqui presentes. No total, 90% dos municípios já aderiram à campanha”, comemorou.


Representantes de diversas entidades também tiveram a oportunidade de problematizar assuntos relativos ao enfrentamento da vida cotidiana, em especial questões ligadas às políticas públicas de saúde, mobilidade urbana e valorização dos cidadãos com mais de 60 anos. É o caso de Edméa Almeida Couto, representante da Casa de Abraão, instituição que desenvolve ações de cuidado e proteção visando mais qualidade de vida e felicidade ao idoso. Ela falou sobre o sofrimento daqueles que aguardam transferência de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) para hospitais e cobrou melhor atendimento pelos profissionais de saúde.


“Nossos idosos precisam de saúde. Sei que está muito difícil, tem muita gente doente, mas o idoso não tem mais esse tempo. Precisamos criar uma situação que resolva e que nós não fiquemos penando numa maca de hospital. Isso não é vida, a gente está lutando há muito tempo e não estou vendo tanto progresso. O profissional tem que ter uma forma diferente de tratar o idoso e de lutar por ele”.


Representando a Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande (Sesau), a conselheira Regiane Gonzalez Pache justificou, no entanto, que a situação narrada por Edméa também é motivo de tristeza para os profissionais de saúde, que trabalham com recursos humanos e financeiros insuficientes para atender à demanda, mas, mesmo assim, se desdobram para oferecer melhor atendimento na rede pública.


“A saúde está doente e pede desesperadamente por socorro. É um desespero também para os servidores. A população aumentou bastante nos últimos anos, recebemos pacientes não só do interior, mas também de outros estados e até do exterior. Precisamos de mais leitos e profissionais, mas estamos pressionados pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Dói não ter vaga. UPA não é o lugar adequado, mas ali o paciente está sendo monitorado”, pontuou. 


Campanha Junho Prata


No decorrer deste mês, a Assembleia Legislativa e o Governo do Estado vão promover diversas atividades voltadas à conscientização da sociedade para o respeito à integridade física e psíquica dos idosos. A campanha será aberta oficialmente durante solenidade na próxima terça-feira (11), na Governadoria, em Campo Grande. 


Na programação, estão previstas palestras, oficinas envolvendo alunos da Rede Estadual de Educação, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e Unigran, além de visitas a centros de referência no atendimento a idosos, ações de divulgação promovidas pela Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa e a realização do 4° Seminário Estadual de Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium